segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Desejo

Aflição é o nome do que me invade. Perto e distante, sinto-me percorrendo trilhas inacabáveis para a lugar nenhum chegar. Enervante é o mistério de teus olhos. Talvez tua boca não diga o que pensas, ou eu viva plenamente em minha idealização. Minha alma é esganada pela mente alucinada. Quero possuir-te. Sonho com teu corpo nu junto ao meu e não vejo a hora da despedida. Mata-me o mistério, mas o desejo me ressuscita, e nesse ciclo vicioso acabo como uma vivendo muitas vidas. Somente quando te entregares a mim poderei seguir em frente.

2 comentários:

Roberto Borati disse...

ótimo, ótimo! como o desejo é uma coisa forte, que descontrola...

muito bom, luiza...

Manu disse...

eu nunca sei o que dizer aos seus textos.. =)
eu sempre gostei ne.. vc sabe! ;)