quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Sorri

Senti-me um arco-íris hoje, não porque é bonito, mas raro. As gotas que caíam do céu junto aos raios de sol desviavam feixes de luz para minha alma e eu reluzi, meu reflexo foi parar no céu. Tão singelo e esmaecido, frágil o arco-íris. Como este apareceria se as gotas não caíssem em forma de lágrima e fossem absorvidas pelo lenço que paira no céu? A tristeza é divina. A tristeza é o encontro da carne com a alma, é a libertação da felicidade. Então, hoje eu sorri: sorri porque fui triste, sorri porque sou triste. Um arco-íris apareceu hoje e só; ele se foi, perdeu-se na noite escura. Mas ele voltará um dia. A felicidade não pode ser feita só de alegria, porque ela nunca deixou de ser tristeza, está apenas fantasiada de sorriso. E, por isso, sorri.

3 comentários:

Natalia disse...

Amiiiga vc arrasando como smp nos textos ...
Primeiro pq vc ótima nisso , segundo pq vc escreve sobre coisas verdadeiras e que acontecem smp com algm .
Por isso que eu te amoo !
beeijos

TuKa disse...

Mais vale um sorriso triste do que a tristeza de não saber sorrir. =]

Dyzinha disse...

Li seu blog!! hahaha
do começo ao fim.

1- quero ler o livro!!
2- o melhor estágio de transição é a indiferença. Saiu do seu organismo de verdade quando simplismente não importa mais.
3- embaixo da carne sempre há uma nova capa e uma nova carne.

beijuuussss