domingo, 26 de setembro de 2010

Nem tudo é o que parece

"Nem tudo é o que parece", uma frase tão clichê e incompreendida. Muitos acham que a entendem, mas poucos realmente conhecem seu sentido. Engraçado pensar como as coisas podem ser conhecidas e ao mesmo tempo não serem. É como conhecer pessoas, algumas são transparentes, outras vestem uma capa tão opaca que é impossível conhecê-las plenamente. Só há dois motivos para as pessoas serem assim, ou a alma é divina ou apodrecida. Sei que não me encaixo na ala das pessoas transparentes e antigamente costumava pensar que isso era bom; e era. Porém deixou de ser quando descobri que o que tinha dentro de mim não era mais divino ou puro, e sim sujo e realmente podre. Eu tomo doses de claridade, mas não é tão simples. Eu posso mudar, eu posso dizer que hoje em dia a sujeira não beira nem minha pele, mas as pessoas precisam ver essa mudança; e se eu for sempre opaca, mesmo que a podridão vá embora, para alguém eu sempre serei a mesma. Contudo, eu sei; nem tudo é o que parece. E isso, aos poucos, vem me conformando.

Um comentário:

S. disse...

A eu pensei, repensei.. essa questão de transparencia..
Será mesmo que existem pessoas transparentes..
Prefiro pensar que certas pessoas tem maior facilidade em falar sobre sentimentos ou o que se passa em suas vidas e em seu interior, mas não transparentes por completo. somos todos incognitas, principalmente para nós mesmos..