quinta-feira, 3 de junho de 2010

Intensa e ilusória

Eu queria estar escrevendo um texto diferente, mas minha intensidade não me permite. Na verdade, ela não me deixa fora de mim por um instante. Tudo que eu consigo no final é contato com meu interior mais sensível, mais aguçado, mais escondido, menos provável, selvagem, raivoso, ferido. Não, não foi dessa vez que me machuquei, nem da última, foram todas, que somadas e esquecidas, causaram essa depressão, forrada com "paredes de gentileza" e palavras ao vento, semeadas no engano. Vivo de ilusões. Sofrer não mais. Eu não me permito, escondo-me, remoo-me, eu não sei mais o que sucederá. Palavras fogem-me, corro das responsabilidades, tudo que resta são sentimentos. Estes me levam para outro plano. O que mais me interessa? Dei valor a quem não merecia? Ou apenas me iludi com o que não existia? Minha intensidade vendeu-me, colocou em mim o preço mais indigno, e como matéria barata, fui usada e jogada fora. E quem disse que seria diferente? Não sei nem o que pensar; mas o que me faz sentir como lixo certamente não é a mente tola de alguém, e sim a minha fraqueza de intensidade, a falta de controle da mente. Eu não me iludi com alguém, eu me iludi comigo mesma. Fiz de seres errantes, como todos os outros, peças importantes para minha melhoria espiritual quando não precisava de ninguém. O que eu preciso agora é apaixonar-me por mim, reavaliar-me. A mente controla a matéria, e a matéria controlará todos os outros. Eu pago pela minha intensidade, mas nesta, por fim, descubro minhas ilusões.

3 comentários:

Natalia disse...

E nasce uma nova Luiza ; e eu creio que nem msm vc sabia que existia . Talvez toda essa intensidade canlizada dessa forma faça sentido e ligue todos os pontos soltos e perdidos dentro de você !
Ótimo texto amiga ;]
te amo

Tassyane disse...

Ah, sempre que eu leio teus textos me sinto neles. Beijos

Anderson (preto) disse...

Oscar Wilde disse uma coisa sábia: "Viver é uma coisa rara. A maioria das pessoas apenas existem."

Portanto, seja intensa sempre que seu espírito assim solicitar.

Belo blog, belos textos, parabéns!

Kid.