sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Doces caminhantes

Pois que cruzaram doces caminhantes a minha fronte, e eu não beber fiz das lágrimas do seio da Terra. Bondade tanta às tempestades sobrevive ou apenas resistente é à paixão calorosa do sol? O vento, que sopra, sombras traz, mas clareia a escuridão local, que, obra da nuvem travessa, cega o tempo. O clima é assim e a vida não diferente pode ser, impossível ter tudo é. Enquanto faz calor, não pode o frio aparecer; enquanto se é rico, pobre não se pode ser. Só a felicidade foge a essa regra. Felicidade da tristeza máscara é, cair pode em instantes ou durar uma vida inteira. Quero poder usar minha máscara novamente, não porque é carnaval, mas porque a minha fronte cruzaram doces caminhantes.

Um comentário:

cristine disse...

Tb quero usar minha mascara.