sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Tempo


Vamos dar tempo ao tempo! Como é difícil pedir isso a nossa geração.
Crescemos comendo em fast-food, praticamente com internet de banda larga, aprendendo a pensar no futuro como se fosse imediato, a ligar e desligar aparelhos por um controle remoto. Somos da geração tecnológica, somos acostumados a ter, e fazer coisas rapidamente.
O que fazer então, quando temos de esperar por um longo prazo? É como se aquilo nunca fosse acontecer, como se estivessem nos iludindo. Mesmo com todas as atividades de nosso dia-a-dia, o tempo voando, quando paramos e esperamos por algo ansiosamente, a rapidez se transforma em lentidão.
Esta, por fim, se torna ainda mais lenta quando nos faz entrar em contato com nós mesmos. E é nessa hora, que somos obrigados a encarar quem somos, avaliar nossa vida, e ter consciência da espera.

Em um mundo onde um ano parece uma semana, ainda é doloroso esperar.

Um comentário:

Duda Vasconcellos disse...

esse tempo que ficamos esperando faz conhecermos a nós mesmo, por isso causa mais medo que impaciência. me encontrei nas suas palavras, por que será? rs